Poesias sombrias ao luar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Seg 24 Maio 2010 - 14:04

Espaço reservado aos amantes da lua, filhos de lycan, lobisomens em geral, vampiros de ocasião, ou outros ( nunca se sabe ), para que deixem seus versos ao luar.
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Seg 24 Maio 2010 - 14:20

Para Victor Meloni y Flávio de Souza

el beso de la luna

luna llena
de fiebre herida
roja por la ventana
invítame
y en la noche oscura
me voy, pues,
oscura también soy
e me voy

voy rompiendo cadenas
al olor de las venas
de carne y sangre y llanto
camino hago
desnuda a la luna salgo
mi piel se cambia
la mujer se oculta
y bestia soy a la luna
tierna luminiscencia
es mi dulce perversidad

pasan los siglos
en la memoria de los hombres
quedase mi danza
invitando los loberos
voy dejando rubros senderos
de sangre y maldición
traigo fuego en corazón
tengo la fiebre de la luna
rubros mis ojos son

ah, luna que alumbra
así en la noche
umbría anima mía
por ella juego con las sombras
pero a la unción de la sangre
aúlla la creatura sombría
mis aullidos azotan la paz
y en los sitios
lo saben
la bestia viene
la bestia sonreí
la bestia vive
y la bestia, yo soy

aunque sean tristes los aullidos
son fieras mis garras
al precio de la saciedad

de plata y errante
luna luna mía
que bella es
en mi alma maldita
eres bienquista

pues al sol que viene
la otra despierta
hasta que otra luna
sea mi libertad
bestia soy
esta es mi maldición
el hambre es mi luz
veneno y pasión

Por Tânia Souza


O beijo do lua

lua cheia
de febre, ferida
vermelha pela janela,
convida-me
em noite escura
eu vou, pois,
escura também sou
e vou

vou rompendo cadeias
ao aroma das veias
faço caminho
desnuda ao luar eu saio
a pele se transforma
a mulher se oculta
e fera sou ao luar
terna luminescência
é minha doce perversidade

passam-se os séculos
na memória dos homens
permanece minha dança
provocando os caçadores de lobos
vou deixando rubros caminhos
de sangue e maldição
trago fogo no coração
tenho a febre da lua
e rubros meus olhos são

ah, lua que ilumina
assim na noite
escura alma minha
por ela jogo com sombras
porém, na unção do sangue
uiva a criatura sombria
meus uivos açoitam a paz
e em todos os lugares
bem sabem
que a fera vem
que a fera sorri
que a fera vive
e a fera sou eu

ainda que sejam tristes estes bramidos
são ferozes minhas garras
ao preço da saciedade

de prata e errante
é tão bonita
lua lua minha
em alma maldita
é tão benquista

pois ao sol que vem
a Outra desperta
até que de novo a lua
seja minha liberdade

fera sou
esta é minha maldição
a fome é minha luz
veneno e paixão

Por Tânia Souza


Última edição por Tânia Souza em Seg 24 Maio 2010 - 20:40, editado 1 vez(es)
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Flávio de Souza em Seg 24 Maio 2010 - 19:45

E o lobo de plantão agradece tão bela e sangrenta homenagem...
avatar
Flávio de Souza

Mensagens : 719
Data de inscrição : 17/07/2009
Idade : 42
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://www.flaviodsouza.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Celly Borges em Seg 24 Maio 2010 - 22:18

T, vou pensar em algo... sabe que me aposentei do mundo poético... rsrs

Linda poesia, mocinha! Bela homenagem aos meninos!
avatar
Celly Borges

Mensagens : 1701
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 34
Localização : Curitiba/BH

Ver perfil do usuário http://mundodefantas.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Victor em Ter 25 Maio 2010 - 15:13

Nossa, T!!! Estou sem palavras!!!
avatar
Victor

Mensagens : 408
Data de inscrição : 04/04/2009
Localização : Não-Me-Toque / RS

Ver perfil do usuário http://www.contosominosos.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Flávio de Souza em Qui 27 Maio 2010 - 10:15

ORAÇÃO E MALDIÇÃO

Distinta dama de pálida face
De vontades sutis, envolta em disfarces
Quero-te aqui ao meu lado
Ouça minha voz, um triste chamado

Plena e branca se mostra
Estampada no escuro
Quer de mim uma amostra
Já não sou inseguro

Ao livrar-me das frias correntes
Da ardência que sufoca
Procuro o clamor silente que me abraça
Que me afaga e desloca

Busco em ti a branca luz
Enlace em refúgio e conforto
Arranque de mim essa casca
Não vês que assim estou morto?

Triste máscara
Um vazio a me acompanhar
Fragilidade exposta
Que o tempo não pode curar

Eternos grãos, maldita areia
Longa tortura que consome
Ansiedade que incendeia
Lamentos em dias insones

Contigo, alva dama, nada temo
Sou uma sombra a vagar
Em minhas veias, teu veneno
Pleno néctar a me abençoar

Herança viva em segredo
Escuridão a ocultar
Em meu peito não há medo
Só distância, a dor de te esperar

Em fases vens
Mínguas, em opaca presença
Ciclo amargo, eterna sentença
Por que tardas? Não vês que me tens?

Rosto liso, pele clara
O tempo insiste em guardar
Esconde-te, de ti me separa
Já não posso suportar

Sou teu escravo, curvo-me a teus desejos
Sem ti, nada sei, penso, ouço, sinto ou vejo
Fartos caminhos me ofereces
Fardos, espinhos, que apetecem

De bom grado retribuo
Trocas justas, cumplicidade
Destino, encanto mútuo
Eterna, interna vivacidade

Dama de prata
Proteja-me
Do ardor cru do vil metal
Lance em mim teu manto puro

Livra-me do mal letal
Arrasto-me, canto no escuro
Eleja-me
Sou aquele que mata

Que eu sinta o amargo rubro
A vida em renovação
O agridoce que abato e engulo
Ofereço a ti em adoração

Dama da noite, rainha fria
Estou aqui, teu fiel consorte
Não me libertes, sejas minha
Até o fim no abraço da morte

Por Flávio de Souza
avatar
Flávio de Souza

Mensagens : 719
Data de inscrição : 17/07/2009
Idade : 42
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://www.flaviodsouza.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Qui 27 Maio 2010 - 16:50

Flávio, e vem dizer que não é poeta? Nossa, uma verdadeira prece ao luar, rimas incriveis e uma estrutura de impressionar, parabéns.
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Sab 5 Jun 2010 - 21:52

Licantropia

Lobo ou homem
Homem ou lobo
Alma em lodo

Quando a lua é branca
E reina imensa no céu
O uivo da alma revela
Quando vence-me a fera

A dor é imensa escuridão
As lagrimas sanguinolentas
È da garganta estranho fel

No olhar outrora tão manso
Que era da vida o remanso
Que a fera se impõe

Os pelos ferem a pele fechada
E na carne a alma revirada
Dentes caninos
Ferinos

Teu sangue eu bebo
Tua carne é meu pasto
Sou divino e animal

Licantropo eu sou
Pelos montes eu corro
Uivo para o Luar

Rasgo em carne tenra
Sacio a fome ancestral
Até o sol me despertar
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Sab 5 Jun 2010 - 21:54

Oh, Lua!

Tânia Souza

Oh, Lua rubra e gentil, densa quimera
Há tantas e tantas eras, como quisera
De teu estranho fascínio fugir
Mas quando surge divinal, sou toda tua

Oh, Lua, Lua nua, estendo-te meus braços
Mas, sedutora, desdenha este querer
Insana, liqüifaço-me, refaço-me
Oh Lua, orvalha-se o meu paladar
Imploro-te ainda uma outra vez
Iluminada, ignora este meu sofrer

Estremecem meus seios afoitos
Crescem-me em boca sedenta caninos gentis
E na tentação de degustar-te, soluço e arfo,
E mergulho em tenro pescoço dentes febris

Oh, lua rubra e gentil, até quando irás punir-me?
Sou apenas fera ferina distante de ti...
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Flávio de Souza em Ter 22 Jun 2010 - 19:57

P/ Victor Meloni e Henry Evaristo

Lembranças da noite profana
Palidez do luar, face canina, pegadas na lama
O agridoce se foi, assim como o meu rosto
Pele em pelo não mais
A claridade me trai
Do amargo do sangue, guardo o gosto

Versos inspirados no pensamento do Mestre, o qual encabeça o conto "Noctívago" do Victor...




avatar
Flávio de Souza

Mensagens : 719
Data de inscrição : 17/07/2009
Idade : 42
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://www.flaviodsouza.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Qua 23 Jun 2010 - 23:30

saudade...

Bonita homenagem!
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por London em Sex 9 Jul 2010 - 16:21

What a Face affraid
LUA MORTIÇA

Há caveiras na lua,
A noite é uma cova abissal,
A noite é uma musa nua,
De langor sepulcral.
avatar
London

Mensagens : 10
Data de inscrição : 07/07/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Seg 12 Jul 2010 - 12:28

Ao beijo da lua


lua de febre convida
mulher de sombras sou
sob a lua vermelha e ferida
em noite escura vou

deixo rubros caminhos
de sangue e maldição
trago fogo no coração
rubros meus olhos são

ah, lua que ilumina
escura alma minha
sob cruel luminescência
lamentam criaturas
em doce perversidade

ah, lua envolta em sombras
na unção do sangue
meus uivos açoitam a paz
e em todos os lugares
a fera vem, a fera sorri,
a fera vive e a fera sou eu

ainda que sejam tristes bramidos
são ferozes minhas garras
ao preço da saciedade
enluarada sou

lua lua minha
de prata e errante e tão bonita
em minh’alma maldita é benquista
pois fera noturna sou

esta é minha maldição
no sangue meu veneno e paixão
na carne minha insana satisfação



tentando rever a tradução, hehe
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Flávio de Souza em Ter 13 Jul 2010 - 9:52

A lua inspirando a galera, é isso aí...
avatar
Flávio de Souza

Mensagens : 719
Data de inscrição : 17/07/2009
Idade : 42
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://www.flaviodsouza.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

O CAVALHEIRO DO DIABO

Mensagem por Zucchi em Dom 8 Ago 2010 - 1:57

Em meu quarto com frio
E ao mesmo tempo aterrorizado
Pois sei que lá fora esta o mal
Que me foi enviado
Pelo próprio diabo
Ouço lá fora me chamar
Tento constantemente ignorar
Mas aquilo que temo e desconheço quer me levar
E assim minha alma destroçar
E de meu eterno sofrimento se alimentar
Tento rezar, mas sei de que nada me adiantara
Pois sinto se aproximar
Fazendo assim minha alma congelar.

Zucchi

Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/08/2010
Idade : 24
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Dom 8 Ago 2010 - 14:33

Olá Zucchi, bem vindo!!
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Zucchi em Dom 8 Ago 2010 - 22:09

Ola e muito obrigado pela recepção

Zucchi

Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/08/2010
Idade : 24
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Zucchi em Dom 8 Ago 2010 - 22:12

MEMÓRIAS DE UM AMARGO PASSADO

Tive muitas decepções em meu passado
Hoje sou um maldito, um pobre condenado
Antes de me tornar um monstro amaldiçoado
Fui um garoto que teve alegrias
No entanto o diabo que é um exilado.

Fez-me como ele
Um completo desgraçado
Enviou seus demônios amaldiçoados
Que minhas alegrias todas levaram
Meus sonhos foram destroçados.

Somente deixou tristeza
Que com o passar do tempo
Em puro ódio foi transformado
E hoje pela essência demoníaca sou alimentado
E em busca de paz esta, este pobre condenado.

Zucchi

Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/08/2010
Idade : 24
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Zucchi em Dom 8 Ago 2010 - 22:13

Olha, essas são minhas primeiras poesias, espero q não estejam tão ruins

Zucchi

Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/08/2010
Idade : 24
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Poleto em Seg 9 Ago 2010 - 10:13

Bem vindo, Zucchi.
Puxe uma lápide e sinta-se em casa. Smile

Poesia não é minha praia (eu acho que sou burro demais para enteder), mas tem um pessoal aqui fera. Wink

___________________________________________________

http://casadasalmas.blogspot.com
avatar
Poleto

Mensagens : 1550
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 38
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário http://casadasalmas.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Zucchi em Ter 10 Ago 2010 - 14:56

Muito grato Poleto por sua magnifica recepção

Zucchi

Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/08/2010
Idade : 24
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Zucchi em Ter 10 Ago 2010 - 15:01

OS DEMONIOS ME DIZEM

No silencio de meu quarto
Ouço as vozes dos demônios
Que em minha mente habitam
Aumento o volume do radio
Mas ainda ouço claramente o que dizem
Com suas vozes destorcidas e aterrorizadoras
Que milhares de vezes repetem
Para que mate os que me rodeiam
Por isso estou amedrontado
Mas por ser um humano fraco
Sedo ao desejo desses amaldiçoados
E sem piedade a todos que me rodeiam
Eu mato
E agora estou amaldiçoado
E vejo meu corpo todo ensangüentado
Com o sangue todos que um dia me amaram
E em minha alma destroçada
Carrego esse fardo e a vida desses pobres coitados.

Zucchi

Mensagens : 9
Data de inscrição : 08/08/2010
Idade : 24
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Tânia Souza em Dom 15 Ago 2010 - 13:36

muito interessantes estes poemas sombrios Zucchi... a sensação é de pavor e perseguição por seres hediondos
avatar
Tânia Souza

Mensagens : 2066
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 41

Ver perfil do usuário http://recantodasletras.uol.com.br/autores/titania

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Fiore em Dom 29 Ago 2010 - 17:29

Haicai

A lua desponta
Na noite fria de agosto -
Misticismo no ar.
avatar
Fiore

Mensagens : 179
Data de inscrição : 27/12/2008
Idade : 57

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Poesias sombrias ao luar

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum